PRA MELHORAR O BRASILEIRÃO

Já justifiquei por que considero a fórmula turno e returno por pontos corridos sem mata-mata a mais interessante para toda a a indústria do futebol (clubes, torcida, mídia e patrocinadores). Também já falei por que considero excelente o fato de o Brasileirão apresentar quatro rebaixados e quatro debutantes na Série A a partir de decisões baseadas na regularidade e na simplicidade dos resultados verificados única e exclusivamente na temporada corrente.

Obviamente, não estou satisfeito com o nível técnico. Mas a sua carência pode ser compensada por uma pequena alteração nos critérios de desempate: sem mudar as regras do futebol nem a fórmula de disputa, pode-se induzir todos os clubes a planejar um futebol mais ofensivo a partir de algumas medidas muito simples.

Caso a minha proposta seja vista com bons olhos, o Brasil servirá de exemplo a ser seguido pelo mundo inteiro. Eis uma nova ordem nos critérios de desempate:

1º Gols a favor;
2º Confronto direto (entre dois ou mais times contando os jogos de ida e volta na seguinte ordem: PG, saldo e saldo qualificado);
3º Menor número de cartões vermelhos;
4º Menor número de cartões amarelos;
5º Saldo de gols;
6º Maior número de gols marcados fora de casa;
7º Maior número de vitórias;
8º Dois jogos extras (entre dois ou mais times contando os jogos de ida e volta na seguinte ordem: PG, saldo e saldo qualificado).

Um futebol com menos faltas, com mais contra-ataques e praticamente sem retranca sem alterar a sua natureza.

Que tal?

One thought on “PRA MELHORAR O BRASILEIRÃO

  1. Hélio, eu estava relendo alguns comentários nos artigos do meu blog, encontrei o teu comentário no artigo “Voto universal desqualificado não é bom para o país” e percebi que na época eu fiquei preocupado em responder e não me dei conta que havias deixado o link para este blog aqui. Cliquei e encontrei este artigo, curiosamente sobre um assunto que eu e um amigo temos discutido em profundidade.

    Sinceramente, eu não acredito que apenas uma alteração dos critérios de desempate seja suficiente para tornar os campeonatos mais interessantes nem para elevar o nível técnico dos jogos.

    Eu defendo duas propostas, cada uma para resolver um destes problemas, que em conjunto incendiariam o futebol. Uma diz respeito à formula dos campeonatos (que o Brasil poderia adotar imediatamente) e a outra diz respeito a uma regra do futebol (que teria que ser negociada com a FIFA).

    Meu amigo tem cobrado que eu publique de uma vez estas idéias, segundo ele porque quer ver 99% dos comentaristas do meu blog me metralhando impiedosamente (ele não gosta muito de nenhuma delas, como deves ter percebido), mas eu não estava muito empolgado. Tendo encontrado mais um interlocutor que se dedica ao assunto, porém, este debate pode ficar muito interessante.

    Nos próximos dias teremos futebol no Pensar Não Dói. :)

Deixe uma resposta